Você tem medo de voar, então cuidado hackearam o avião!

Se você tem medo de voar por causa das temíveis turbulências, fique calmo, Pois no futuro, também temeremos sofrer uma invasão hacker em pleno voo, o que acarretará desde pequenas interferências em equipamentos de comunicação e até mesmo atrapalhar a vida do piloto.

Recentemente o pesquisador Ruben Santamarta, durantes suas pesquisas sobre vulnerabilidades em comunicação via satélite, conseguiu acessar as redes WiFi de uma aeronave em pleno voo, sendo capaz até de interceptar o tráfego de dados dos passageiros. Então tudo leva a crer que um avião pode ser invadido remotamente, e o pesquisador Ruben Santamarta predente provar sua façanha durante a Black Hat USA 2018 – Maior feira de Segurança da Informação do Mundo.

O interessante sobre a revelação do pesquisador Ruben, e que a vulnerabilidade surgiu na internet ao mesmo tempo em que a Motherboard obteve acesso a documentos do Departamento de Energia dos EUA, que, em uma recente apresentação interna, concluiu que “é só uma questão de tempo até que uma brecha de segurança no sistema aéreo apareça”.

No momento ninguém sabe — o quão perigosa seria uma situação real de invasão a uma aeronave em pleno voo. O atacante poderia desde espionar as comunicações entre a tripulação e as torres de controle ou até mesmo causar interferências nos equipamentos de navegação, causando riscos físicos à integridade dos ocupantes.

Vamos torcer para não termos de descobrir isso na prática, não e mesmo?

Thiago Souza

Sou bacharel em Sistemas de Informação pela Faculdade Cenecista de Sete Lagoas, atualmente estudando para certificações Linux LPI Nível 1, CompTIA Linux+ e Novell Linux Administrator, Tenho interesse por todas as áreas da informática, mas em especial em Gestão, Segurança da Informação, Ethical Hacking e Perícia Forense. Sempre disposto a receber sugestões de assuntos para criar uma postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.